Arquivo do mês: julho 2010

Festivale: vitrine cultural do “Vale da Vida”


Fonte: Polo Jequitinhonha

Por Aluysio Ferreira

Postada em 14/06/2010

Está chegando o 28º Festivale. Para aqueles que não conhecem, este é o maior festival de cultura popular do Vale do Jequitinhonha. Padre Paraíso, cidade sede do evento em 2010, já aguarda ansiosa. Previsto para acontecer entre os dias 25 e 31 de julho, a prefeitura do município e a Federação da Entidades Culturais do Vale do Jequitinhonha (Fecaje), juntamente com as instituições parceiras, trabalham a todo vapor para que mais uma edição do festival  se concretize.

Durante uma semana, o Vale se torna mais belo. Pessoas de todas as regiões – Alto, Baixo e Médio Jequitinhonha – se reúnem para exibir toda riqueza cultural proveniente do nordeste mineiro. As manifestações são as mais diversas: festival de música, noite literária, feira de Artesanato, apresentações folclóricas e teatrais, mostra de vídeos e fotografias, cursos, oficinas, debates e seminários. Tudo isso e muito mais faz do Festivale uma importante vitrine capaz de representar o imenso patrimônio cultural que o Vale possui.

Neste ano as discussões serão voltadas para o tema “Juventude, Cidadania e Identidade Cultural”. Repensar os novos rumos da juventude do Jequitinhonha, que juventude é essa e sua atuação como agente transformador da sociedade será o ponto forte dos debates previstos para acontecerem durante o segundo dia do evento.

O Festivale é de extrema importância por preservar e transmitir a cultura popular do Vale. O festival se mostra importante também por reafirmar a região como o “Vale da Vida e das Oportunidades”, retirando do nordeste mineiro o estigma de “Vale da Miséria”. O slogan do evento bem diz: “Vale, Vida, Verde, Versos e Viola”. Isso é o Jequitinhonha.

Histórico

A origem do Festivale vem do “I Encontro de Compositores do Vale do Jequitinhonha”, realizado em Itaobim, em 1979. Na ocasião, o evento reuniu 22 compositores vindos de 15 cidades do nordeste mineiro. A partir do encontro, a atenção de seus organizadores se voltou para a oportunidade de realização de um festival de maiores proporções, capaz de reunir as diversas manifestações culturais do Vale do Jequitinhonha em um só lugar. No ano seguinte, na mesma cidade, foi realizada então a primeira edição do Festivale. Organizado pelo Jornal Geraes e pelo recém-criado Centro Cultural do Vale do Jequitinhonha (CCVJ), o festival teve como um de seus principais articuladores o cantor e compositor Tadeu Martins. Atualmente o Festivale é organizado pela Federação Cultural e Artística do Vale do Jequitinhonha, que, desde sua criação, em 1990, responde pelo evento.

Marcos

1980 – 1º Festivale – Itaobim – Em sua primeira edição, o Festivale teve duração de 3 dias. Paulinho Pedra Azul foi o grande vencedor do Festival de Canção realizado no evento com a música “Ave Cantadeira”. A vitória abriu as portas para o cantor, que, logo em seguida, gravou seu primeiro LP, “Jardim da Fantasia”. Foi nesta edição que surgiu o slogan: “VALE, VIDA, VERSO E VIOLA”, que mais tarde foi acrescida da palavra “VERDE”, e que acompanha o Festivale até hoje.

1984 – 5º Festivale – Araçuaí – Todo o Vale do Jequitinhonha vivia um momento de efervescência cultural com semanas de cultura, shows, festivais de músicas, etc. Por tudo isso e pela própria localização geográfica, Araçuaí recebe o maior público da história dos Festivales.

1987 – 8º Festivale – Serro – Este Festivale teve duração de 10 dias. Foram implantados os cursos e oficinas nas áreas de música, teatro, literatura, teatro de bonecos e outros. Dessa forma, o evento abriu uma nova perspectiva de atuação para o movimento cultural.

1988 – 9º Festivale – Virgem da Lapa – Foi realizada nesta edição a 1ª Mostra de Teatro Amador do Vale. Num processo de envolvimento e integração com a comunidade, criou-se a Rádio Festivale e foram promovidos debates sobre meio ambiente, conjuntura política popular e outros.

1990 – 11º Festivale – DIAMANTINA – Foi o primeiro a ser realizado pela recém-criada FECAJE.

1992 – 13º Festivale – BOCAIÚVA – O Festivale de Bocaiúva trouxe como inovação a 1ª Noite Literária.

1994 – 15º Festivale – SALTO DA DIVISA – O Festivale inovou em Salto da Divisa ao promover um debate entre os candidatos ao Governo do Estado e ao Poder Legislativo. Foi solicitado dos candidatos no debate a exposição das propostas para o Fórum de Desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha.

1996 – 17º Festivale – Jequitinhonha – Cinco anos depois o Festivale volta para a cidade de Jequitinhonha com o tema “SOS RIO JEQUITINHONHA”. Várias manifestações foram realizadas com destaque para o Festival de Música e a Noite literária, que abordaram exclusivamente o tema “Ecologia”. Durante o evento realizou-se também o seminário “SOS RIO JEQUITINHONHA”, que culminou com a criação do Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento do Vale – IVALE. O IVALE tem por finalidade, além da pesquisa, realizar trabalhos de consultoria para as administrações que desejarem implantar projetos de saneamento básico e preservação do meio ambiente.

Cidades que já recebram o Festivale

21 cidades já receberam o maior festival de cultura popular do Vale, que, por tradição, é realizado em um município diferente a cada edição. São elas:

1980 – 1º Festivale em Itaobim;

1981 – 2º Festivale em Pedra Azul;

1982 – 3º Festivale em Itaobim;

1983 – 4º Festivale em Minas Novas;

1984 – 5º Festivale em Araçuaí;

1985 – 6º Festivale em Salinas;

1986 – 7º Festivale em Almenara;

1987 – 8º Festivale em Serro;

1988 – 9º Festivale em Virgem da Lapa;

1989 – 10º Festivale em Rubim;

1990 – 11º Festivale em Diamantina;

1991 – 12º Festivale em Jequitinhonha;

1992 – 13º Festivale em Bocaiúva;

1993 – 14º Festivale em Minas Novas;

1994 – 15º Festivale em Salto da Divisa;

1995 – 16º Festivale em Carbonita;

1996- 17º Festivale em Jequitinhonha;

1998 – 18º Festivale em Itinga;

1999 – 19º Festivale em Jordânia;

2000 – 20º Festivale em Bocaiúva;

2002 – 21º Festivale em Pedra Azul;

2003 – 22º Festivale em Medina;

2004 – 23º Festivale em Salinas;

2006 – 24º Festivale em Araçuaí;

2007 – 25º Festivale em Joaíma;

2008 – 26º Festivale em Capelinha;

2009 – 27º Festivale em Grão Mogol;

2010 – 28º Festivale em Padre Paraíso.

Fonte: www.fecaje.org.br

Anúncios

Jovens irão compor a assessoria de comunicação do Festivale


Finalizado segundo módulo do processo formativo

Por Aluysio Ferreira Postado em 06/07/2010

Fonte: Polo de Integração da UFMG no VAle do Jequitinhonha

Foi finalizada, no dia 27 de junho, a segunda etapa do processo formativo que buscou preparar os jovens da cidade de Padre Paraíso para integrarem a assessoria de comunicação do 28º Festivale. A UFMG, por meio do programa Polo, e a Associação Imagem Comunitária (AIC) estiveram a frente das oficinas que foram realizadas na Escola Estadual José Monteiro Fonseca, em Padre Paraíso. A primeira etapa, realizada no dia 12 de junho, buscou transmitir aos jovens alguns conceitos básicos de comunicação, como a função de uma assessoria e as principais características de meios audiovisuais, digitais e impressos ? meios que serão utilizados pela assessoria de comunicação do 28º Festivale. As atividades também procuraram motivar os presentes para a intensa produção que será realizada durante a semana do evento. Na segunda etapa, os jovens foram divididos entre as diferentes frentes que a assessoria irá trabalhar e buscou-se estimular a produção. O objetivo foi finalizar a oficina com os produtos que serão veiculados no primeiro dia do Festivale. Apesar desse objetivo não ter sido alcançado devido à chuva que caiu na cidade e também a problemas técnicos, o conteúdo programado foi discutido na íntegra com os jovens da cidade. Todo trabalho realizado durante as oficinas foi desenvolvido de maneira dialógica, incentivando os próprios participantes a pensarem sobre suas produções e encontrarem as soluções diante diferentes problemas de comunicação. Essa é a segunda vez que a comunicação do Festivale contará com a presença dos jovens do Vale do Jequitinhonha. Em 2009, em Grão Mogol, a participação também ocorreu, gerando ótimos resultados. Neste ano, a equipe será formada por 12 jovens de Padre Paraíso, 5 de Itaobim e 4 de Araçuaí. Na coordenação estará a equipe do suporte de comunicação do programa Polo e profissionais da AIC, que trabalharão de maneira integrada. Oficina de comunicação para o 28º Festivale ovens irão compor a assessoria de comunicação do Finalizado segundo módulo do processo formativo Por Aluysio Ferreira Postado em 06/07/2010 Foi finalizada, no dia 27 de junho, a segunda etapa do processo formativo que buscou preparar os jovens da cidade de Padre Paraíso para integrarem a assessoria de comunicação do 28º Festivale. A UFMG, por meio do programa Polo, e a Associação Imagem Comunitária (AIC) estiveram a frente das oficinas que foram realizadas na Escola Estadual José Monteiro Fonseca, em Padre Paraíso. A primeira etapa, realizada no dia 12 de junho, buscou transmitir aos jovens alguns conceitos básicos de comunicação, como a função de uma assessoria e as principais características de meios audiovisuais, digitais e impressos ? meios que serão utilizados pela assessoria de comunicação do 28º Festivale. As atividades também procuraram motivar os presentes para a intensa produção que será realizada durante a semana do evento. Na segunda etapa, os jovens foram divididos entre as diferentes frentes que a assessoria irá trabalhar e buscou-se estimular a produção. O objetivo foi finalizar a oficina com os produtos que serão veiculados no primeiro dia do Festivale. Apesar desse objetivo não ter sido alcançado devido à chuva que caiu na cidade e também a problemas técnicos, o conteúdo programado foi discutido na íntegra com os jovens da cidade. Todo trabalho realizado durante as oficinas foi desenvolvido de maneira dialógica, incentivando os próprios participantes a pensarem sobre suas produções e encontrarem as soluções diante diferentes problemas de comunicação. Essa é a segunda vez que a comunicação do Festivale contará com a presença dos jovens do Vale do Jequitinhonha. Em 2009, em Grão Mogol, a participação também ocorreu, gerando ótimos resultados. Neste ano, a equipe será formada por 12 jovens de Padre Paraíso, 5 de Itaobim e 4 de Araçuaí. Na coordenação estará a equipe do suporte de comunicação do programa Polo e profissionais da AIC, que trabalharão de maneira integrada.